terça-feira, 28 de outubro de 2014

Meu amigo Rock

É triste perder um amigo, seja ele humano ou bixo. Um animal de estimação é um amigo que estimamos, mesmo sendo bixo. Há quase dois anos, recebemos e criamos o nosso cachorro "Rock", um boxer com uma energia aparentemente inesgotável e que demonstrava carinho para com a gente. Morreu hoje, por seguir seu ímpeto de bixo solto e se acidentar. Sentiremos sua falta como a de um amigo-gente, até porque o gostar é o mesmo quando se gosta. Se existe o céu deles, espero que ele aproveite toda a eternidade correndo livre em campos sem obstáculos e na companhia de muitos amigos. Valeu, Rock!



domingo, 12 de outubro de 2014

Mais vale o momento que a foto

Ouvi isso num bom filme e concordo: quando um momento nos toca pessoalmente, melhor do que fotografá-lo e distrair-se com a câmera é simplesmente ficar ali e admirá-lo. Por mais que eu goste de fotografar, com uma certa crença de estar eternizando um instante para desfrutá-lo outras tantas vezes, reconheço que a foto não consegue preservar a conexão que existe quando presenciamos algo que nos emociona. O tempo-espaço não é captado pela fotografia, senão que apenas uma idéia do momento, um registro, ainda capaz de transmitir uma boa representação dele, porém já fora e distante do que foi, porque nem as fotos mantém vivo o passado. Assim, uma bela paisagem, a família reunida, os amigos abraçados, uma comemoração, um primeiro ou único beijo, o pôr do sol, enfim, qualquer ocasião que mereça ser retratada, por mais especial que seja, sempre valerá muito mais que o seu registro em papel, ou numa imagem perdida entre milhares no computador. Aprecie cada momento desses, grave com seus próprios sentidos e ele ficará impresso na memória daquelas coisas que nunca vamos esquecer.